terça-feira, dezembro 30, 2008

Vida

Natal Universal



[in O Cedro]

Imagens do Natal da Unidade de Engenharia n.º5 do contingente português estacionado em Shama, no sul do Líbano. Com um total de 141 militares, o contingente português está integrado na Força Internacional das Nações Unidas (UNIFIL). Foi assim que os nossos militares festejaram a época, tentando esbater a distância de terras lusas. Nada faltou, nem o tradicional bolo-rei, confeccionado especialmente para a ocasião.

Numa especial homenagem a alguém que merece todos os "mimos" nesta quadra.

segunda-feira, dezembro 29, 2008

Do Arco da Velha

A Arte da Conversa

"gosto de companhia, gosto de tagarelar e que tagarelem comigo.
adoro deixar-me ficar sentado à volta de uma mesa e de me deixar envolver de tal forma no momento, que perco a noção do tempo. até alguém dizer, com supresa: já são duas!!
mas em que consiste uma boa conversa?
não se trata, com toda a certeza de se exibir ou de gritar mais alto do que os outros. há quem fale e não ouça. outros ouvem sem falar. todos são igualmente irritantes.
o grande conversador consegue fazer as duas coisas em partes iguais.
na conversa as ideias surgem e são embelezadas, melhoradas, contraditas ou desfeitas pelo grupo que se reuniu. os amigos vão arranjar anedotas que confirmem ou neguem uma ideia.
infelizmente, o amor pela conversa é demonizado por uma sociedade que valoriza a acção acima de tudo: não fales, faz! é o mantra dos nossos tempos. ao que eu respondo: não faças, fala sobre o assunto.
se vale a pena fazer aquilo sobre que se conversa então, a devido tempo, será feito. mas a conversa sobre o assunto é o melhor bocado, a excitação de engendrar intrigas e congeminar esquemas. a conversa, o bocado antes da realidade, antes da consciência de que será necessário algum trabalho real para fazer essa coisa acontecer, quando as possibilidades são infinitas..."

[Excerto da obra 'Os Prazeres do Ócio', de Tom Hodgkinson]
Gentilmente sacado daqui.
Ecos do Pensamento



"voa coração. ou então arde."

Eugénio de Andrade

sexta-feira, dezembro 26, 2008

Vida

Um Dia Branco

Dai-me um dia branco, um mar de beladona
Um movimento
Inteiro, unido, adormecido
Como um só momento

Eu quero caminhar como quem dorme
Entre países sem nome que flutuam

Imagens tão mudas
Que ao olhá-las me pareça
Que fechei os olhos

Um dia em que se possa não saber

Sophia de Mello Breyner Andersen
Lamentável



Aconteceu na Escola EB 2,3 do Cerco, no Porto.
Alunos são ouvidos hoje pelo Conselho Executivo.
A notícia aqui.

terça-feira, dezembro 23, 2008

Recordar é Viver

Fantasias de Natal...

Um verdadeiro clássico da publicidade em Portugal.

Uma forma diferente de desejar a todos os leitores do Arco da Velha um santo e feliz Natal.

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Ver TV

Sobre a Benfica TV




O dia em que o Benfica se despede da edição deste ano da Taça UEFA e, consequentemente, de todas as competições europeias esta temporada (ou isso ou um milagre), é também o dia do último directo de um jogo da equipa principal de futebol no novíssimo canal do clube, a Benfica TV. Que melhor pretexto para explanar um pouco do conceito deste canal, disponível gratiutamente para os assinantes da MEO, da Portugal Telecom? Como eu...

Assistir às emissões regulares da Benfica TV constitui uma verdadeira experiência sociológica. Num tempo em que a televisão perde protagonismo para outros meios de comunicação, pode começar por referir-se que o conceito peca por ausência de inovação e atraso no tempo. O canal é "televisivamente" pobre, quer em termos de meios, quer em termos de conteúdos. Se há coisa que detesto é o parcialismo, mas já se sabia que um canal de um clube de futebol não poderia ser imparcial. Mas uma hora a discutir o anti-benfiquismo do árbitro Jorge Coroado ou duas horas a debater a grandeza do clube... Não há pachorra!! Ou será que há?

Um canal que é tão mau que consegue ser bom. Apenas um clube em Portugal poderia abraçar um projecto deste género e fazer dele um sucesso. Esse clube chama-se Spot Lisboa e Benfica. Independentemente dos sucessos desportivos da instituição desportiva, a marca Benfica vende e sempre venderá. Por isso, considero que a Direcção do Benfica está de parabéns pela concretização com o êxito visível de um anseio de sempre dos adeptos e simpatizantes benfiquistas.

Aguardo cada noite novos comentários dos chamados "especialistas em assuntos benfiquistas". Não tarda, não consigo dormir sem as boas noites do João Malheiro.

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Ecos do Pensamento



"Um livro é como uma janela. Quem não o lê, é como alguém que ficou distante da janela e só pode ver uma pequena parte da paisagem."

Khalil Gibran - Poeta e Escritor Libanês

terça-feira, dezembro 16, 2008

Esses e Outros Sons

Gogol Bordello - Start Wearing Purple

Mais um som absolutamente contagiante. Os Gogol Bordello integram elementos de países como a Ucrânia, Israel, Etiópia, Estados Unidos, Equador, Rússia ou China, e podemos afirmar que encaixam como poucos na categoria "world music". O problema é que eles, pura e simplesmente, detestam esse termo. Se world music é um termo equivocado, então chamemos a música dos Gogol Bordello pelos nomes: trata-se de um verdadeiro punk-pop-cigano-performático. Ao vivo, tudo isto se traduz em nove caóticas presenças em palco, numa sonoridade difícil de definir. Mas absolutamente fácil de digerir. Uma vez mais, obrigado Vanessa, pela deliciosa sugestão musical.

Fantástico...

Mais uma verdadeira PÉROLA d' Os Contemporâneos.

De visionamento absolutamente OBRIGATÓRIO.

"Salvem os Ricos", o seu hit deste Natal...

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Sobre a Crise...

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Verdes Anos



O Panda Tao Tao

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Sobre a Crise...



[Fonte: ActivoBank7]

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Carpe Diem



Hoje o Mundo comemora o sexagésimo aniversário da proclamação da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

O primeiro artigo daquele documento, formalmente adoptado e proclamado pela Organização das Nações Unidas no dia 10 de Dezembro de 1948, tem a seguinte redacção: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.”

A ideia de cidadania activa afirma-se historicamente com a expansão dos movimentos de massas e com a luta pela conquista dos direitos universais, precisamente há sessenta anos proclamados pela ONU. A cidadania, no mundo contemporâneo, prescinde da exigência dos vínculos comunitários tradicionais, não se reduz à pura afirmação da liberdade em face ao Estado, age na esfera da liberdade e pressupõe uma visão participada de cultura social e política.

Contudo, hoje como ontem, ainda não conseguimos interiorizar verdadeiramente a noção de participação cívica. Urge ensinar a comunidade a participar, dando voz ao cidadão comum, fazendo uso dos seus mais elementares direitos. Estamos definitivamente diante de um novo paradigma que engloba a busca de solução dos problemas sociais, o empenho na melhoria da qualidade de vida e a aposta nas conquistas significativas de cidadania, devidamente partilhadas.


sexta-feira, dezembro 05, 2008

Fantástico

As Aventuras de Valentintim Loureiro...

Do Arco da Velha

Depois da sátira ao Computador Magalhães, pelos Gato Fedorento, aí está mais um fantástico sketch que poderíamos encaixar na categoria "Humor dentro das quatro paredes de uma Igreja". Desta vez, os "culpados" são Os Contemporâneos.



Puro Relax



Por-do-sol eólico...

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Carpe Diem

“Não discriminação... igual a… inclusão social!"


Foi este o lema do Congresso Europeu sobre Deficiência, realizado em 2002 e que saudou a proclamação do ano de 2003 como o Ano Europeu das Pessoas com Deficiência, no sentido da necessidade de alertar a consciência da opinião pública sobre os direitos dos mais de 50 milhões de europeus com deficiência. Hoje, dia 3 de Dezembro, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, mais do que nunca, devemos assumir que os problemas das pessoas com deficiência ultrapassam as meras questões específicas de saúde, educação, transportes, barreiras arquitectónicas e outras, para se situarem no plano mais vasto dos Direitos Humanos.
A forma como o Poder e o próprio Cidadão Comum organiza a vida, as localidades, as infra-estruturas de educação e de cultura, a lógica produtiva e organizativa das empresas, marginaliza uma parte considerável da população, designadamente a população portadora de diferenças, físicas, psíquicas, ou ambas. Os cidadãos deficientes raramente têm oportunidade de assumir a sua condição de cidadãos de pleno direito.
Muitas das consciências não interiorizaram ainda que os cidadãos com deficiência têm, como os outros, direitos e deveres. Os estigmas que impendem sobre o cidadão com diferenças não foram ultrapassados, marcando ainda, de um modo geral, os comportamentos sociais. A discriminação constitui uma violação dos Direitos Humanos. Não é característica apenas de países ditos menos desenvolvidos, mora no espírito do Homem, no mais íntimo da sua consciência.

Toda a reflexão.
Directo à Questão.